Livro irá contar a história natural de Mato Grosso

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

História natural é um termo utilizado para denominar um conjunto variado de disciplinas científicas que estuda a natureza e a relação do homem com o planeta Terra, incluindo a biologia, a geologia, a paleontologia e a arqueologia. Mato Grosso possui uma rica história natural, registrada em suas rochas de até 3,5 bilhões de anos, que contam sobre antigos continentes, mares, cordilheiras, formas de vidas primitivas, eventos de vulcanismos e fósseis de animais pré-históricos, como os dos dinossauros que habitavam o estado. 

O sítio arqueológico Santa Elina, localizado no município de Jangada, a 82 km de Cuiabá, é um exemplo pouco conhecido dessa enorme riqueza pré-histórica de Mato Grosso, sendo o segundo sítio arqueológico mais antigo das Américas, com idade aproximada de 27 mil anos. Lá foram encontrados fósseis de animais da megafauna, como os da preguiça e tatu gigantes, e pinturas rupestres que demonstram a convivência entre o homem pré-histórico e estes animais extintos há cerca de 12 mil anos.

Para dar maior visibilidade à história natural de Mato Grosso, instituições que se dedicam à pesquisa e difusão do tema se juntaram para produzir um livro que contará com a participação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), do Museu de História Natural de Mato Grosso, do Instituto Ecossistemas e Populações Tradicionais (Ecoss), da Associação de Geólogos de Cuiabá (Geoclube), da Associação Profissional dos Geólogos do Estado de do Mato Grosso (AGEMAT) e da Federação Brasileira de Geólogos (FEBRAGEO). O livro conta com patrocínio do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea).

O livro intitulado “História Natural de Mato Grosso” abordará sobre história geológica, rochas e minerais, arqueologia, paleontologia, geomorfologia, solos e sobre os biomas do estado, mostrando todo potencial científico, econômico e turístico presentes no estado relacionado à estas áreas e tão pouco explorados.

Para o geólogo e professor da UFMT Caiubi Kuhn, o livro “História natural de Mato Grosso” será um importante material para a popularização da ciência e divulgação dos museus existentes no estado. O projeto visa proporcionar um material ilustrado e em linguagem simples com as principais informações sobre geologia, paleontologia, arqueologia, geomorfologia e sobre os ecossistemas do estado.

O livro também visa divulgar de forma ampla para toda população, os acervos que já estão abertos ao público no Museu de História Natural de Mato Grosso e no Museu de Rochas, Minerais e Fósseis da UFMT.

Enir Maria Silva, Coordenadora do Museu de História Natural de Mato Grosso e vice-presidente do Instituto Ecoss explica que o livro é de suma importância para a divulgação dos acervos dos museus e fomento à pesquisa arqueológica e paleontológica no estado de Mato Grosso. Ela também destaca o trabalho do Instituto Ecoss que, desde a década de 1990, realiza pesquisas arqueológicas e paleontológicas no estado e foi o fundador do Museu de História Natural de Mato Grosso. “Grande parte do acervo do Museu que está disponível para o público e estará presente no livro são de pesquisas do Instituto ECOSS”, completa Silva.

Mara Luiza Rocha Sala, professora da UFMT, explica que o livro abrangerá conhecimentos acerca de geologia, paleontologia e geodiversidade; utilizando como instrumento didático amostras de rochas (ígneas, sedimentares e metamórficas), minerais e fósseis com ocorrência em nosso estado, apresentando de forma simplificada conceitos e aplicabilidades dos mesmos e também noções sobre o Tempo Geológico, Processos de Origem e Formação da Terra e Processos formadores de rochas.

Para Sheila K. J. Souza, vice-presidente da FEBRAGEO e presidente da AGEMAT, o livro será um passeio pela história natural do estado, contando com linguagem acessível como Mato Grosso se formou. Sheila também destacou que Mato Grosso tem uma íntima relação com a geociências. “A viagem dos Bandeirantes para cá foi por conta do ouro, a história da colonização do estado foi por conta do ouro, então toda a história do estado está ligada com a geociências, está ligada com a mineração. No próprio hino do estado diz sobre as “minas faiscantes”, sobre os diamantes”, afirma. 

O livro, que ainda está em estado inicial de produção, tem seu lançamento previsto para ocorrer ainda no ano de 2022, no final do mês de novembro.

Texto: Radharani Kuhn